26 de outubro de 2015

Violência contra a mulher é tema da redação do ENEM 2015; professores avaliam


Ao abordar questões de gênero, o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado no último final de semana de outubro em todo o país, mostrou coerência com os conteúdos cobrados dos estudantes. De acordo com a professora de Língua Portuguesa, Margarete do Carmo Pereira, o tema (A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira) colocou mais de 7 milhões de pessoas, número de inscritos no Exame, para refletir sobre um assunto de extrema importância.

“Lembro que recentemente colocamos no PME (Plano Municipal De Educação) algo que falava sobre Igualdade de Gênero entre mulheres e homens, mas que foi retirado do plano por falta de conhecimento de alguns ‘machistas’ que não conseguem ver a mulher como uma pessoa com os mesmos direitos e deveres que os homens. Achei de grande valia a redação do Enem, no sentido de ter colocado mais de sete milhões de pessoas para refletir sobre um tema tão importante”, comentou a professora.

Para desenvolver o texto do tipo dissertativo-argumentativo o candidato tinha quatro conteúdos de apoio. Um deles era um cartaz de uma campanha contra o feminicídio. Também havia um gráfico com dados sobre o tipo de violência cometida contra mulheres, baseado em informações do Disque 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Também havia uma reportagem que abordava o impacto da Lei da Maria da Penha e dados estatísticos do Mapa da Violência.

Nas Internet, de um lado usuários comemoraram o fato de o Enem trazer a reflexão do problema da violência de gênero aos mais de 7 milhões de candidatos. Alguns criticaram e chamaram a prova de "esquerdista" por tratar de tema relacionado aos direitos das mulheres. De toda forma, a simples presença do tema esquentou o debate sempre presente nas redes sociais sobre a questão de gênero no Brasil.

Demais conteúdos – O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi marcado por questões sobre feminismo, globalização e meio ambiente. A prova, que costuma trazer temas relacionados ao cotidiano e interpretação de texto, apresentou uma questão sobre igualdade de gênero na área de Ciências Humanas, com uma citação da filósofa e escritora francesa Simone de Beauvoir, que virou tema mais comentado pelos estudantes quando eles saíram da prova.

O egocentrismo e a selfie voltaram a figurar na prova com trecho de um texto do jornalista e sociólogo Muniz Sodré sobre o tema. O pensamento de Paulo Freire, questionado em várias manifestações contra o governo e a esquerda pelo país, também apareceu no teste. Entre os assuntos envolvendo atualidades, foram abordados ainda o Estado Islâmico, a crise hídrica e a ciberespionagem. (Com EBC e Agência Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Publicidade

Institucional

Receba em seu e-mail