1 de junho de 2015

Prefeitos se reúnem para discutir criação de Aterro Sanitário coletivo


Área serviria municípios consorciados e resolveria
problema dos 'lixões' a céu aberto

Para promover estratégias de universalização dos serviços públicos de saneamento básico e manejo de resíduos sólidos, os municípios de Cristianópolis, Bela Vista de Goiás, São Miguel do Passa Quatro, Caldazinha, Santa Cruz de Goiás e Bonfinópolis estudam a celebração de um consórcio microrregional para criação de um aterro sanitário coletivo. A área serviria todos os municípios consorciados e resolveria o problema dos grandes ‘lixões’ nestas cidades.

Uma assembleia para tratar do assunto foi realizada no dia 12 de maio em Bela Vista de Goiás e reuniu prefeitos de todas as cidades que deverão fazer parte do consórcio. A estratégia é vista pelo Governo Federal como a solução para os pequenos municípios no que se refere aos lixões e danos causados por eles à população e ao meio ambiente.

“A razão da criação dos consórcios é devido à grande maioria dos recursos destinados às áreas de atuação dos mesmos estar sendo direcionada para estes órgãos e não para o município individualmente. Com este tipo de ação estamos produzindo maior eficiência e dinamismo aos serviços públicos além de proporcionar economia de escala na prestação destes serviços, como a redução de custos de atividades e projetos”, menciona o prefeito de Bela Vista de Goiás, Eurípedes José de Carmo (PSC).

Os consórcios são entidades que reúnem municípios para a realização de ações conjuntas que têm sido apontados como um instrumento que permite ganhos de escala nas políticas públicas, além de ser um novo modelo gerencial que pode viabilizar a gestão microrregional. Eles geram ampliação da oferta de serviços, a racionalização de equipamentos, a ampliação de cooperação regional, a flexibilização dos mecanismos de aquisição de equipamentos e de contratação de pessoal, entre outras vantagens.

Segundo a prefeitura de Bela Vista de Goiás, município regulador, mais de 1,2 milhão de quilos de lixo doméstico são gerados por ano por estes municípios e a previsão é de que o Aterro Sanitário atenda-os ao longo de 20 anos. O custo aproximado de investimento e implantação é de R$36 milhões. (Com Prefeitura de Bela Vista de Goiás)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Institucional

Receba em seu e-mail