2 de março de 2015

ARTIGO: Quando fiscalizar vale a sua moral


Acompanhar o que seu vereador está fazendo na Câmara Municipal é muito importante para saber o que está sendo realizado na cidade, de que forma os projetos de lei têm sido aprovados ou rejeitados, bem como entender que a função do legislativo é de fiscalização.

Foi com essa intenção, além de informar a população em geral sobre o que está sendo votado pelos nossos representantes, que compartilhei um vídeo nas redes sociais da segunda sessão extraordinária de dezembro de 2014 da Câmara de Vereadores de Cristianópolis.

Meu objetivo foi mostrar com um pouco de humor que alguns vereadores votaram e aprovaram (aliás três vereadores se recusaram a votar e saíram em protesto), um projeto que não tinha especificações de onde e como o dinheiro público iria ser gasto na cidade. Ora, ninguém assina cheque em branco pra ninguém e na Câmara isso também não deveria ser feito, já que a função de um vereador é fiscalizar o Poder Executivo. Sendo assim como alguém pode fiscalizar sem ter um documento que especifique de onde e pra onde vai o dinheiro público?

A maneira que a documentação foi levada à Câmara é inconclusiva e ilegal já que não tem especificações de onde e como o dinheiro do contribuinte iria ser gasto, fora o fato de o Governo Federal ter mandado cerca de R$ 750 mil orçado pelo próprio Executivo para a reforma e ampliação do Hospital Municipal em 2014. Faz saber que esse recurso não foi utilizado para esse fim, e não sabemos onde esse dinheiro foi gasto, já que na suplementação não mostra isso.

É incrível pensar por que algumas pessoas preferem, ao invés de fazer alguma coisa em prol da população de Cristianópolis, agir justamente ao contrário disso, não reconhecendo que estão errados, e que o que foi votado é uma ilegalidade. Não tem como se auto intitular "cidadão de bem" e aprovar irregularidades, como alguns vereadores estão fazendo. Não sou eu que tenho cargo público, não sou responsável por votar na Câmara e não recebo dinheiro público para exercer nenhuma função. Só mostrei para todos verem o que está acontecendo, porque me preocupo diariamente com a minha cidade.

Quem se candidata para cargos públicos deve entender que todas as suas ações serão vistas e também questionadas, principalmente quando corroboram com alguma irregularidade e ilicitude. A Câmara Municipal é a casa do povo e não um clube restrito. Cabe a cada um de nós, cidadãos de bem, que trabalhamos e estudamos para um futuro melhor para nós e nossas famílias, fiscalizar e acompanhar mais o que nossos excelentíssimos vereadores estão fazendo, porque eles sim são funcionários públicos e recebem pra isso.


Miller de Mello
é universitário

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Publicidade

Institucional

Receba em seu e-mail