3 de dezembro de 2014

Moradores beneficiados com programa habitacional ficam sem asfalto após entrega de casas


Uma parceria entre os governos federal e estadual beneficiou a população de Cristianópolis. O programa habitacional Minha Casa Minha Vida proporcionou aos beneficiários do município a entrega de cerca de 60 casas no Setor dos Lagos, para moradia própria. A entrega das residências foi realizada pela Agência Goiana de Habitação (Agehab), a 40 famílias, no último dia 20 de novembro, no entanto, faltou um detalhe.

As casas foram entregues com fiação elétrica e água encanada, porém o asfalto (responsabilidade da prefeitura de Cristianópolis) não foi entregue à população. Em contato com a AGEHAB, a assessora de comunicação da Agência, Lilian Braudes, informou que a parceria entre os governos federal e estadual depende do tipo de financiamento e que é comum a entrega de casas sem o asfalto, já que não compete ao órgão estadual a implantação de asfalto.

“É função da prefeitura se responsabilizar pela instalação da infraestrutura básica para moradia, no entanto, a falta de asfalto não seria impedimento para a população morar nas casas. Normalmente ocorre o contrário, onde o asfalto é feito, mas falta a ligação de energia”, relata.

Não foi o caso de Cristianópolis. A falta de asfalto tem gerado problemas previsíveis que muitos cidadãos ainda passam: dificuldade para deslocamento, poeira em excesso em tempo seco e lama em época de chuvas, além de problemas respiratórios e outros aborrecimentos.

Em contato com a prefeitura de Cristianópolis, a secretária do prefeito Jairo Gomes Pereira Júnior informou que o gestor não se encontrava no momento. A reportagem da Folha de Cristianópolis tentou contato com o responsável administrativo da prefeitura, Márcio Afonso Lemos, mas não obteve retorno.

Mesmo com transtorno, famílias agradecem Agehab

Entre as 40 famílias beneficiadas, está a do auxiliar de serviços gerais Lenoir Pereira de Paula, 60 anos, e a artesã Zildete Maria Balduíno, 58. “A gente sempre quis ter nossa casa, mas nunca conseguiu”, explica Zildete, que paga junto com o marido o aluguel de 150 reais. “Esse é um dinheiro que vai e nunca mais volta”, reclama.

A renda da família raramente ultrapassa a barreira de dois salários mínimos, o que segundo Lenoir dificultava o financiamento de um imóvel em banco. “Com esse programa do Estado e da Caixa conseguiremos ter nossa casa”, reconhece o senhor, que pagará uma prestação de cerca de R$ 80.

O baixo valor para o beneficiário é conseguido graças à parceria entre o Governo de Goiás, que entrou com R$ 920 mil em Cheque Mais Moradia, e o governo federal, que contribuiu com R$ 760 mil.

Balanço

O presidente da Agehab, Luiz Stival, diz que o Governo de Goiás realiza o maior programa habitacional da história de Goiás, com o Cheque Mais Moradia completamente reformulado e fortalecido para atuar em parceria com todos os programas de moradia do governo federal e dos municípios. Segundo Stival, existem canteiros de obras em andamento em 168 municípios para construção de aproximadamente 18 mil moradias.

De acordo com ele, mais de 80 mil famílias já foram beneficiadas com casa própria e reforma habitacional na atual gestão. “Goiás é o Estado que mais contrata moradias no País. Estamos em processo de contratação de mais 50 mil moradias para famílias com renda de até três salários mínimos. Hoje somos referência nacional em política de promoção da moradia de interesse social”, salienta Luiz Stival, frisando que a Agehab já conquistou cinco prêmios nacionais e concorre a premiação internacional da ONU-Habitat.

“Trabalhamos lado a lado com as prefeituras, entidades sociais e o governo federal para que as famílias que mais precisam da intervenção do poder público para ter acesso à moradia de qualidade conquistem o sonho da casa própria”, conclui. (Da Agehab)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Publicidade

Institucional

Receba em seu e-mail