7 de maio de 2014

ARTIGO: Sobre o dever de fiscalizar com honestidade


Este é meu primeiro mandato. Mandato que o povo me permitiu exercer e é esse mesmo povo que eu represento na Câmara Municipal. É com esse mesmo povo que tenho compromisso, pois foi ele [o povo] que confiou a nós vereadores estarmos presentes no dia a dia do município. Poder ser capaz de conhecer as reais demandas da população local e os problemas que impedem que as políticas públicas atinjam os seus objetivos.

No ano de 2013, estivemos julgando as contas relativas aos anos de 2008, 2010 e 2011, do ex-prefeito Iris Aurélio Borges Dias. Para tomar a decisão de como votar, eu consultei a população de Cristianópolis, que está revoltada. Diz que o ex-prefeito deixou muitas dívidas para o atual, que as irresponsabilidades e irregularidades encontradas nas contas referentes a esses anos fazem parte do atual caos que se encontra a prefeitura hoje. O povo acredita estar aí a explicação para não termos tido nenhuma obra significativa em nosso município.

Como fiscalizador da Lei, não posso aceitar tais atos e os responsáveis precisam ser punidos. Por isso, votei pela rejeição dessas contas cabeludas do ex-prefeito.

Nossa bancada baseou o argumento de desaprovação do Balanço Geral de 2008, 2010 e 2011, em inúmeras irregularidades tais como o sumiço do dinheiro do PASCRI, que foi renegociado, pois já havia sido e não foi cumprido o acordo inicial; fundamentamos nosso voto no fato de inúmeros funcionários estarem com seu nome sujo no SPC e SERASA, pessoas honestas, íntegras que tiveram seu dinheiro descontado em folha, sem repasse aos bancos, e agora tem sujo o que de mais importante um homem pode ter, que é o nome. Além de dívidas com a CELG, com a SENEAGO, com o INSS e inúmeras contas chegando todos os dias.

Mesmo nossa bancada tendo sido derrotada em todas as votações, de todos os balancetes, sinto que cumprimos nosso papel, pois julgamos de acordo com a vontade popular. As pessoas que nos procuramos consideravam essas contas impróprias para aprovação. Mesmo assim nossa bancada sempre perdia por cinco votos FAVORÁVEIS às contas do ex-prefeito. São eles: Paulo Lemes, Daniel Araújo, Guilherme Faustino, Francisco Alves e Carlos Coelho. Nossa bancada toda sempre foi contrária à essa sujeira. Os votos limpos são dos vereadores, André Zakhia, Marco Aurélio, Fábio Braga e eu.

Sei que fizemos nossa parte e que foi para isso que o povo nos elegeu. Para representá-los, fazer o que eles fariam se estivessem ali na nossa cadeira. Espero que esta Casa de Leis não demore voltar a votar as contas do ex-prefeito o quanto demorou para votar o Balanço de 2008, que só foi à votação após cinco anos; que também não demore para apresentar os Balancetes das Contas do atual. E que os nobres colegas vereadores, possam votar de acordo com a vontade dos eleitores que os elegeram. Que verdadeiramente legislem em benefício do povo cristianopolino.


José Devanier
é vereador de Cristianópolis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Institucional

Receba em seu e-mail