2 de dezembro de 2013

Chuvas aumentam cuidados contra dengue


Até março, número de casos tende a subir. Preocupação é para que dados sejam menores que o recorde negativo da temporada passada, principalmente, na capital

Vai começar o período chuvoso em Goiás. Com ele, os cuidados redobrados contra o mosquito da dengue. As regras são as mesmas: orientação, mobilização e combate. Os números, no entanto, não agradam e sobem a cada ano. Para se ter uma ideia, na última década, Goiânia apresentou epidemias contínuas da doença. Segundo o Informe Técnico Semanal da Dengue, de 2007 pra cá, as epidemias foram expressivas com números crescentes de casos, exceto em 2012, quando houve uma baixa absoluta, mas não menos preocupante.


Essa crescente, segundo a Diretora de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, Flúvia Amorim, fez com que as ações se tornassem constantes, não se limitando apenas ao período chuvoso. “Desde o início do século, a gente não para mais. A capital mudou o seu perfil e passou a ser endêmica, ou seja, com casos o ano todo. Por isso, mesmo com o período seco, as ações não param”.

O novo mapa da dengue divulgado pelo Ministério da Saúde no último dia 19 de novembro mostra que 157 municípios do país estão em situação de risco e outros 525 em estado de alerta. O índice é considerado satisfatório em pelo menos 633 cidades brasileiras. Apesar da cidade de Cristianópolis integrar a lista de municípios com índice satisfatório, o município vizinho, Rio Quente, está presente no ranking de “cidades em situação de risco”.

Para intensificar as ações de vigilância, prevenção e controle da dengue, o Ministério da Saúde está dobrando o volume de recursos adicionais que serão repassados a todos os estados e municípios brasileiros. Portaria autorizando o repasse de R$ 363,4 milhões foi assinada pelo ministro Alexandre Padilha. Os recursos são para incrementar os investimentos realizados nas ações de vigilância em saúde, que somam R$ 1,2 bilhão, sem o montante adicional. Para Goiás, deve ser liberado ordem no valor de R$12,7 milhões.

CASOS – Entre 2002 e 2013, só na capital do Estado foram 242.974 notificações – desse total, 163 mortes. O maior número da série histórica de casos notificados de dengue em Goiânia aconteceu este ano: foram 57.244 confirmações ou 23% de todos os casos registrados desde o início do século.

Diante dessa situação inerente e já prevendo um aumento no número de casos de dengue nesse final de ano, um plano de contingência foi traçado para mobilizar departamentos de saúde pública, privada e a população em geral. “Com esse plano iremos oferecer acesso ao atendimento rápido nos postos de saúde, tratamento adequado, controle vetorial e intensificação de ações em bairros prioritários. Tudo para chegarmos a um só objetivo: reduzir os óbitos por dengue”, explica Flúvia.

Esse plano pretende antecipar o que aconteceu no período crítico da dengue no ano passado e no início de 2013, quando cerca de 400 pessoas com suspeita de dengue eram atendidas nas unidades básicas de saúde da capital diariamente.

Mesmo com o empenho do poder público, a conscientização da população continua sendo o fator mais importante no combate à dengue, como explica Flúvia Amorim. “Sempre vigilantes, a gente não espera os casos acontecerem, vamos até os focos e, muitas das vezes, conseguimos impedir a proliferação. Queremos que a população também faça a sua parte e tire pelo menos dez minutos por semana para auxiliar na eliminação dos criadouros e verificar se em sua residência e local de trabalho existem locais com água parada. Contra a dengue, se agirmos antes, podemos evitar”, orienta. (Com informações do Portal da Saúde)
--

Você pode conferir todos os detalhes do Mapa da Dengue no link: http://bit.ly/IdWD4f

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Publicidade

Institucional

Receba em seu e-mail